Soberania de Deus: O Censo de Davi

censo-davi-biblia

Essas duas passagens bíblicas podem parecer contraditórias:

I Samuel 24:1 – “Tornou a ira do SENHOR a acender-se contra os israelitas, e Ele incitou a Davi contra eles, dizendo: Vai, levanta o censo de Israel e Judá.”

I Crônicas 21:1 – “Então, Satanás se levantou contra Israel e incitou a Davi a levantar o censo de Israel.”

Mas, afinal, quem incitou Davi para levantar o censo, Deus ou Satanás?

Os textos tratam da mesma história e na continuação da leitura de ambos os capítulos percebe-se o mesmo desfecho. Entretanto não há contradição nas passagens, mas, sim, a revelação da Soberania de Deus.

O objetivo de levantar censo era de contar o número de pessoas aptas em lutar nas guerras, para que o Rei soubesse o seu poderio militar. No entanto, Deus, na lei de Moisés, havia proibido que os filhos de Israel levantassem censo, uma vez que esses deveriam confiar em Deus para dar-lhes a vitória em suas batalhas, não no número de seu exército. Assim, levantar o censo era uma atitude de falta de fé em Deus e em Seu livramento.

Na Bíblia encontramos algumas passagens aparentemente paradoxais, mas é apenas uma questão de ponto de vista. Os autores bíblicos escreveram debaixo de inspiração direta do Espírito Santo, ora por revelação, ora por observação e documentação dos fatos vividos.

Quando escreviam por revelação de Deus, o ponto de vista era o de Deus, escreviam o fato da maneira que Deus via a história, infinita e ilimitadamente. Quando escreviam por observação ou documentação de fatos históricos, o ponto de vista era humano, portanto limitado aos fatos, consequências mas dificilmente vislumbravam as causas dos acontecimentos.

No livro de Samuel o escritor é o profeta Gade, o segundo sucessor de Samuel, e como vidente (II Crônicas 29:25), entendia a história do ponto de vista de Deus. Já Esdras, escriba (historiador), relatou o mesmo fato sob o ponto de vista histórico, humano terrestre.

Deus é soberano e controla todos os acontecimentos, fazendo com que no final tudo redunde em Sua Glória. Claro que Deus não deseja que ninguém peque, nem tem prazer no pecado, mas Ele usa até mesmo as falhas humanas para ser Glorificado e Seu propósito final ser alcançado. Quem tem prazer no pecado do homem é Satanás, por isso o agente imediato da ação de Davi é relatado como sendo o Diabo. No entanto, Deus em Sua Soberania, usou o próprio Diabo (que também é servo de Deus) para cumprir seus desígnios. À semelhança de Jó, Deus usa até mesmo o Diabo para tratar com Seu povo, mas no fim Deus é glorificado. A mesma situação já está decretada no livro de Apocalipse, mas não trataremos disso agora.

Na conclusão da história, Davi compra a eira de Araúna, um estrangeiro que contaminava a terra, edifica ali um altar e adora a Deus. Neste mesmo lugar, cerca de vinte anos depois Salomão constrói o maior monumento à Glória de Deus já erguido na Terra, o Templo de Salomão.

Podemos aprender com essa história que Deus sempre é glorificado. Por Sua Soberania, Ele faz com que tudo concorra para sua Glória. Todos nós certamente seremos usados como instrumentos para a Glória de Deus, pois foi precisamente para isso que ele criou o Ser Humano. Porém, podemos ser usado como foi Davi no primeiro momento, recebendo a punição de Deus por seus atos, de maneira que sofreu com isso, ou podemos escolher glorificar a Deus de nossa própria vontade, e termos prazer com isso, como fez Davi após seu arrependimento.

Qual é sua escolha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.